Centro Clínico Castelo | Rua Prof. Jorge Hennings 631 | Jardim Chapadão | Campinas - SP | (19) 3242-1919 | (19) 3212-1513 Home Agendamento Equipe Especialidades Exames Artigos Contato

Oferecemos especialidades

médicas e odontológicas e

psicologia

Nossos profissionais são formados e especializados em suas áreas, em alguns dos maiores centros de educação e pesquisa do país.

Endocrinologia

   Endocrinologia é uma especialidade médica que estuda as ordens do sistema  endócrino e suas secreções específicas, chamadas de secreções fisiológicas. As  principais áreas de atuação do especialista, que é denominado endocrinologista, são:  o tratamento do câncer, da obesidade mórbida, desordens da glândula hipófise,  alterações do ciclo menstrual, tratamento e acompanhamento de pacientes diabéticos  e outras doenças relacionadas à deficiência ou ao excesso de suco gástrico.    A Endocrinologia, no Brasil, foi introduzida na década de 1980, quando foi criada a  Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, também conhecida por sua  sigla "SBEM". Ela realiza congressos médicos da especialidade a cada dois anos.    A especialidade vem ganhando projeção, com o passar dos anos, pois as desordens por ela tratadas vêm aumentando sua prevalência na população brasileira e no  mundo. A obesidade, por exemplo, afeta cerca de 42% da população, e cerca de 15%  da população brasileira tem diabetes (embora só a metade destes o saiba). Essas  duas doenças, decorrentes em grande parte da modificação alimentar causada pelo  desenvolvimento no mundo, estão em ascensão, e têm merecido grande atenção, por  parte dos serviços de saúde.

Gastroenterologia

   A Gastroenterologia ou Gastrenterologia (do grego gastro =estômago + entero =  intestino), é a especialidade médica que se ocupa do estudo, diagnóstico e tratamento clínico das doenças do aparelho digestivo. O tratamento cirúrgico de tais patologias é  abordado pela Cirurgia do Aparelho Digestivo.

Formação Acadêmica

   No Brasil, o médico gastroenterologista precisa concluir, além do curso de  graduação em medicina, programa específico de residência médica com duração  mínima de 2 anos ou experiência na área pelo mesmo tempo e ser aprovado em  concurso para receber o título de especialista outorgado pela Associação Médica  Brasileira e Federação Brasileira de Gastroenterologia.

Áreas de Atuação

   Médicos gastroenterologistas podem ainda atuar em áreas que não são  consideradas especialidades médicas no Brasil, mas que estão relacionadas à  especialidade e geralmente requerem uma formação acadêmica adicional, a saber:  endoscopia digestiva, gastroenterologia pediátrica, hepatologia e nutrição parenteral e  enteral.

Hepatologia

   A hepatologia é o estudo do fígado. Também pode ser considerada a área da  medicina que estuda e cuida de doenças relacionadas ao mesmo.

História

   Uma das primeiras representações da anatomia e fisiologia do fígado foi encontrada em papiros egípcios, em cerca de 1550 a.C. Na Ilíada e na Odisséia, (no oitavo século  a.C.), Homero descrevia a anatomia do fígado e o definia como um órgão vital, pois  quando ferido levava à morte. O estudo do fígado progrediu na antiguidade com os  filósofos pré-socráticos, a escola hipocrática e os romanos (principalmente Aulus  Cornelius Celsus e Aretaeus de Cappadocia), alcançando seu máximo  desenvolvimento com Galeno.    Durante a Idade Média, a hepatologia pouco se desenvolveu como muitas áreas da  ciência. Os conhecimentos adquiridos por Galeno foram transmitidos integralmente  até o Renascimento, praticamente sem qualquer avanço. Como em tantas outras  áreas da ciência, foi a vez de Leonardo da Vinci (1452-1519) exercer sua genialidade.  Da Vinci é considerado o pai da hepatologia moderna, descrevendo a anatomia do  fígado no homem, com a veia porta, veias hepáticas, vasos intra-hepáticos e as vias  biliares. Uma das doenças que descreveu foi a cirrose.    Desde então, a hepatologia se desenvolveu rapidamente. Se na antiguidade  suspeitava-se que o fígado era o órgão responsável pela formação do sangue (e como a sede da alma e dos sentimentos), hoje temos uma idéia mais precisa da sua  importância.

Regulamentação

   No Brasil, não é reconhecida como especialidade médica, mas como área de  atuação do gastroenterologista, conforme norma do Conselho Federal de Medicina.

Clinics & Services

Odontologia

   Odontologia (português brasileiro) ou medicina dentária (português europeu) é a  área da saúde humana que estuda e trata o sistema estomatognático - compreende a  face, pescoço e cavidade bucal, abrangendo ossos, musculatura mastigatória,  articulações, dentes e tecidos. Em Portugal, a Medicina Dentária é um segmento  independente, tal como no Brasil é a Odontologia. Cirurgião-Dentista é a denominação dada a estes profissionais no Brasil e em Portugal, os licenciados em Medicina  Dentária designam-se Médicos Dentistas. Por saúde oral, entende-se a ausência de  doença estomatológica, bem como a correta função, estabilidade e até mesmo  estética de todo o sistema estomatognático. É hoje certo e sabido que a saúde oral  tem sérias implicações na saúde humana, sendo as duas indissociáveis.

Ortodontia

    A Ortodontia é a especialidade da Odontologia relacionada ao estudo, prevenção e  tratamento dos problemas de crescimento, desenvolvimento e amadurecimento da  face, dos arcos dentários e da mordida, ou seja, disfunções dento-faciais.    O Especialista em Ortodontia, após sua graduação em Odontologia, para ter a  especialização reconhecida e poder atuar com competência na área, deve cursar  regularmente especialização lato senso (especialização propriamente dita) e/ou strito  senso (mestrado e doutorado), onde aprenderá sobre crescimento e desenvolvimento  da face, anatomia facial, biogênese da oclusão, etiologia (causas) da má-oclusão, e  tratamentos preventivo, interceptivo e corretivo.     A ortodontia pode ser dividida em ortodontia fixa (com braquetes e bandas coladas  aos dentes) e removível (aparelhos removíveis). No adulto, quando as bases ósseas  estão muito discrepantes, indica-se a cirurgia ortognática. Na criança em  desenvolvimento estas discrepâncias podem ser tratadas com aparelhos fixos e em  alguns casos com aparelhos ortopédicos.    Problemas ortodônticos mais brandos podem ser tratados por um cirurgião-dentista  não-especialista ou mesmo por um odontopediatra, que devem ter o discernimento  para encaminhar ao especialista se o caso for mais difícil.    A ortodontia sofre constantes mudanças, principalmente relacionadas ao tipo de  material utilizado no tratamento ortodôntico. Além dos diversos tipos de aparelhos  utilizados (fixo, removíveis, etc.), diversos materiais são empregados nas suas  composições, tornando obrigatória a constante atualização do profissional desta área.

Oftalmologia

   A oftalmologia é uma das especialidades da Medicina. É um ramo da medicina que  investiga e trata as doenças relacionadas com a visão e com os olhos e seus anexos.  Especialidade médica que se dedica ao estudo e tratamento das doenças e erros de  refração apresentados pelo olho. O médico oftalmologista realiza cirurgias, prescreve  tratamentos e correções para os distúrbios de visão. A oftalmologia, assim como  várias outras especialidades da medicina, tem várias sub-especialidades, entre elas a oftalmo-pediatria, a plástica ocular, doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, o  estrabismo, o glaucoma, a cirurgia refrativa, retina,córnea, etc. 

Psicologia

    O trabalho do profissional de psicologia é auxiliar o paciente a lidar com suas  dificuldades emocionais ou fisiológicas, oferecendo acolhimento, compreensão e  esclarecimento sobre seu estado de desajuste, angústia ou sofrimento. O psicólogo  tem por objetivo fazer o indivíduo refletir, provocando uma conscientização e dando  possibilidades para mudanças.    Algumas pessoas leigas dizem que psicólogo é só para pessoas “loucas”, o que não é verdade. O psicólogo além de auxiliar o paciente em suas dificuldades, também  trabalha com patologias que são consideradas desorganizações do ego do paciente.    Em suma, o psicólogo é procurado pelo paciente para que ele o auxilie em suas  dificuldades, sejam elas emocionais, fisiológicas, familiares, individuais, grupais e  sociais. É importante dizer que o psicólogo não dita regras que devem ser seguidas,  mas sim, orienta o paciente a buscar a melhor forma de lidar com a dor psíquica, isto  é, a escolha é do paciente e não do psicólogo.    Existem várias áreas em que o psicólogo atua: Clínica, Hospitalar, Institucional,  Organizacional, Escolar, Judiciária e no Esporte.     O psicólogo também trabalha em conjunto com demais profissionais, por exemplo,  médicos, psiquiatras, nutricionistas, administradores, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e dentistas.    Então, não tenha preconceito, busque ajuda psicológica quando necessitar!

Psiquiatria

   Psiquiatria é uma especialidade da Medicina que lida com a prevenção,  atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de  sofrimentos mentais, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, com manifestações  psicológicas severas. São exemplos: a depressão, o transtorno bipolar, a  esquizofrenia, a demência e os transtornos de ansiedade. Os médicos especializados em psiquiatria são em geral designados por psiquiatras (até meados do século XX foi  também comum a designação alienistas).    A meta principal é o alívio do sofrimento e o bem-estar psíquico. Para isso, é  necessária uma avaliação completa do paciente, com perspectivas biológica,  psicológica, de ordem cultural, entre outras afins. Uma doença ou problema psíquico  pode ser tratado através de medicamentos ou terapêuticas diversas, como a  psicoterapia, prática de maior tradição no tratamento. A avaliação psiquiátrica envolve  o exame do estado mental e a história clínica. Testes psicológicos, neurológicos,  neuropsicológicos e exames de imagem podem ser utilizados como auxiliares na  avaliação, assim como exames físicos e laboratoriais. Para uso dos testes devem ser  procurados os profissionais específicos autorizados para aplicá-los. Os procedimentos diagnósticos são norteados a partir do campo das psicopatologias; critérios bastante  usados hoje em dia, principalmente na saúde pública, são a CID-10 da Organização  Mundial de Saúde, adotada no Brasil, e o DSM-IV da American Psychiatric  Association.    Os medicamentos psiquiátricos são parte importante do arsenal terapêutico, o que é  único na Psiquiatria, assim como procedimentos mais raramente utilizados, muito já  criticados na história do movimento psiquiátrico, como a eletroconvulsoterapia. A  psicoterapia também faz parte do arsenal terapêutico do psiquiatra, embora seja bem  melhor utilizada por outros profissionais de saúde mental: Psicólogos e Psicanalistas.
Especialidades